Cientistas descobrem rara evidência de crucificação romana

Segundo cientistas, o esqueleto é de um homem que aparentemente morreu da mesma forma e na mesma época que Jesus. Foto: Reprodução Web

É apenas a segunda vez na história que um vestígio da cerimônia que, segundo a Bíblia, vitimou Jesus Cristo é achado

Cientistas da Universidade de Ferrara e da Universidade de Florença, na Itália, descobriram o corpo de um homem que aparentemente morreu da mesma forma e na mesma época que Jesus: pregado em uma cruz de madeira. Depois da crucificação, o esqueleto foi enterrado. Os arqueólogos o encontraram no norte da Itália, na cidade de Gavello, próximo à Veneza.

Os restos do esqueleto foram encontrados em 2007 pelos pesquisadores durante a instalação de um oleoduto em Gavello. Em abril deste ano, a revista Archaeological and Anthropological Sciences publicou os resultados do estudo. E mostrou indícios da crucificação deste homem.

Segundo os cientistas, as fraturas não curadas em um osso do calcanhar indicaram que o homem pode ter sido morto com um grande prego encravado em seus pés. Pode ter sido provavelmente em uma cruz de madeira. Exames genéticos e biológicos concluíram se tratar de um homem de estatura baixa e magro, com idade entre 30 e 34 anos. Ao que tudo indica, se trata de um escravo subnutrido que foi executado.

De acordo com o estudo, os romanos aprenderam sobre a crucificação com a civilização cartaginesa. E usaram como uma forma de punição capital por quase mil anos, até que o imperador Constantino a baniu no século 4 d.C.

Fora o homem de Gavello, a única vez em que os restos mortais de uma vítima da crucificação foram encontrados foi em 1968. Foi durante uma escavação de túmulos da era romana em Jerusalém pelo arqueólogo grego Vassilios Tzaferis.

*Com informações Revista Galileu


Leia mais

70 anos da revelação dos Manuscritos do Mar Morto
Manuscritos de Gênesis narram saída de Noé após o dilúvio
Manuscritos do Mar Morto disponíveis na web

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!