Os desafios de um homem cristão

Foto: Reprodução

Quando Deus criou o homem, Ele o fez a sua “imagem e semelhança”.

A maioria dos homens sente o peso de ser o provedor financeiro da família, de tentar ser um bom marido e pai, de resistir às tentações de um mundo que visa arrastá-lo para baixo.

Mas como Deus, o homem tem a capacidade de criar e de se relacionar. Ao criá-lo, Deus lhe deu vários desafios. São eles: administrar a criação de Deus, ser o provedor da família, desenvolver uma profissão e exercer seu papel na sociedade de forma digna.

Lidar com as pressões da vida moderna e suas exigências, tem levado muitos homens a crise existencial e espiritual. Vivemos numa sociedade em constantes mudanças, onde as expectativas mudam a cada instante, onde a competição impera na sociedade levando muitos a depressão e ao desânimo.

“Como homens cristãos, não estamos isentos deste contexto. Precisamos nos voltar para a palavra de Deus e reforçar nossos princípios para que não sejamos tragados pelas filosofias deste mundo e percamos nossa identidade e compromisso com Deus. Temos de entender o propósito do Senhor para nossa vida e colocar em prática os Dons recebidos d’Ele. Entendendo nossa missão é colocar a vontade Deus acima de tudo é o que nos faz sentirmos realizados aqui nesse mundo. Que Ele cresça e eu diminua”, explicou o pastor Diego Bravin.

Desafios e responsabilidades

1. Compromisso com Deus
Cristo está nos chamando a termos um compromisso com Ele como Pessoa. Quando você está comprometido com uma pessoa, você não pode deixar de refletir seus valores e adotar sua perspectiva. Todo homem deve considerar o relacionamento com Cristo sua prioridade máxima (Mt 22.3).

2. Amar a esposa
A maioria dos homens ainda não compreende como Cristo amou a Igreja (o povo de Deus), e por isso acha duplamente difícil amar a esposa de uma forma que não compreende. O amor bíblico é o amor ágape, é um amor incondicional, é uma atitude espontânea.

3. Amar os filhos
Que pai não estaria disposto a morrer pelo filho? Se estamos dispostos a chegar ao ponto de morrer por nossos filhos, por que será que frequentemente não estamos dispostos a viver por eles? Precisamos passar tempo com eles, viver uma aventura com eles, algo que lhes marque para toda a vida. Precisamos escutá-los, dar ouvidos às suas lutas, temores, decepções, vitórias.

4. Ser um homem íntegro
Durante o decurso de um dia normal temos dezenas de oportunidades de mentir, enganar e furtar. Se tivermos que resolver, cada vez que precisarmos tomar uma decisão, se vamos ou não ser honestos, consumiremos muita energia e correremos o risco de tomar uma decisão desatentamente e comprometer a nossa integridade.

5. Ser um homem puro sexualmente
Nossos corpos não foram feitos para a imoralidade sexual, mas para o Senhor, que nos criou e nos chamou para viver em pureza sexual. A vontade Dele é que todo cristão seja puro sexualmente — em seus pensamentos, em suas palavras e também em suas ações. Devemos fazer como Jó, uma aliança com nossos olhos (Jó 31.1).

6. Ter amigos de verdade
Muitos homens estão passando por crises terríveis, têm enfrentado grandes desafios em todas as áreas de suas vidas, mas a maioria está só, sem amigos, enfrentando suas lutas, seus medos, suas dificuldades, e muitos estão sendo derrotados. As amizades podem proporcionar oportunidades únicas para o crescimento espiritual, principalmente quando fazemos um pacto de ser mutuamente sensíveis e transparentes e falar a verdade.

7. Ser autêntico e transparente
Normalmente fingimos que não temos um problema. Achamos que para sermos amados e aceitos temos que passar uma imagem de perfeitos. Mas é justamente o contrário. Quando somos verdadeiramente conhecidos é que somos mais amados. Nunca tente passar algo que você não é.

8. Ser um homem de oração
A oração nos faz dependentes de Deus e nos leva a fazer a Sua vontade. Não ore por obrigação, ore por um desejo de estar com o Pai. Somos livres para orar da maneira que melhor contribua para vivermos na alegre consciência da presença de Deus (Mt 6.6).

9. Vencer a tentação
A tentação é dolorosa para nós porque, quando cedemos, ela não machuca por fora; machuca por dentro. A tentação procura fazer que nossos apetites e vontades sobrepujem nossos valores mais profundos. Ela ataca onde somos mais vulneráveis. Sempre que tenho um desejo, o Espírito me induzirá a apresentá-lo diante de Deus e perguntar: “O que o Senhor quer que eu faça com isso?” (1 Co 10.13).

10. Ter prioridades
As prioridades nos ajudam a limitar o nosso enfoque. Deus deseja que vivamos pelas prioridades bíblicas, que sejamos cristãos bíblicos. Valores seculares conduzem a prioridades seculares e valores bíblicos conduzem a prioridades bíblicas


Leia mais

Paul Washer: O evangelho de Deus e do homem
Russell Sheed: O homem em comunidade
Ator confessa ser um homem de fé

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!