Cristãos são libertados na Coreia do Norte

O empresário Kim Dong-chul é um dos cristãos libertados. Foto: KCNA VIA KNSAFP

O anúncio foi feito pelo presidente norte-americano, Donald Trump, em sua conta oficial no Twitter

No dia seguinte ao anúncio de que EUA deixam acordo nuclear com Irã, presidente norte-americano informa avanços nas negociações com a Coreia do Norte. É que nesta quarta-feira (09), Donald Trump anunciou que o país libertou três cristãos americanos que estavam detidos na Coreia.

“Estou satisfeito de informar que o secretário de Estado, Mike Pompeo, está voltando da Coreia do Norte com os três maravilhosos senhores que todos desejam ver. Parecem ter boas condições de saúde”, afirmou Trump em sua conta do Twitter.

Os norte-americanos irão pousar em solo americano na madrugada de quinta-feira. Eles estão acompanhados do secretário de Estado, Mike Pompeo, que esteve na Coreia do Norte pela segunda vez em menos de seis semanas para se reunir com Kim Jong-un. “Será ótimo conhecê-los. Estou animado”, diz Trump.

Kim Dong-chul, Kim Hak-song e Tony Kim eram acusados de espionagem e propagação da fé cristã. A atitude é considerada ilegal na Coreia do Norte.

Kim Dong-Chul, um empresário de cerca de 60 anos, foi sentenciado em abril de 2016 a 10 anos de trabalho forçado após sua prisão por subversão e espionagem. Tony Kim foi preso em abril de 2017 no principal aeroporto de Pyongyang, quando se preparava para deixar o país depois de dar aulas por várias semanas. Kim Hak-Song, cerca de 50 anos, foi preso em maio de 2017. Ele trabalhava para a Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang


Leia mais

Os EUA saem do acordo nuclear com Irã
Trump manda recado de paz à Coreia do Norte
Coreia do Norte e Estados Unidos se confrontam verbalmente
Educação cristã se fortalece na Coreia do Norte, apesar da perseguição

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!