O cristão e o exercício da solidariedade

Em Pernambuco, uma Igreja criou o “Mercado Solidário” para ajudar famílias em situação de risco social.

Hoje é Dia Mundial da Solidariedade Cristã. A data lembra que as religiões estão juntas na jornada por uma vida melhor. Muito além da partilha material, a solidariedade implica em doação espiritual e conforto psicológico. Exige o combate às desigualdades. Também exige o amor ao ínfimo e dedicação às pessoas.

Compaixão e solidariedade são importantes para a genuína fé cristã. Compaixão lida mais com o interior, a vida espiritual, o coração. E a solidariedade trabalha mais com as ações, “sólidas”, “concretas”, que desaguam num comportamento de ajuda e companheirismo prático.

E o que move isso é o amor, que define a natureza de Deus. E determina a natureza de quem é nascido de Deus. “A solidariedade pode ser encontrada em vários grupos com ética e valores duvidosos. Mas a solidariedade cristã precisa seguir os valores do Reino de Deus, É um mandamento bíblico: ‘Amados, amemos uns aos outros, pois o amor procede de Deus'”, explicou o pastor Francisco Mecenas, da PIB Marília, SP.

A solidariedade é o caminho tanto para a paz quanto para o desenvolvimento das nações. Segundo o pastor, Deus pede para que os cristãos exerçam a solidariedade. O melhor exemplo é parábola do Bom Samaritano, descrita na Bíblia. O amor deve ser expressado a todos.

“O que Jesus mostra nesta história é como devemos tratar o diferente, o ‘desagrado’ até o inimigo. A solidariedade cristã verdadeira vem de um coração que ama a Deus e ao seu próximo. Jesus diz que se não fizermos isso não seremos melhor do que os que não conhecem a Deus. O amor e a solidariedade devem ser vistas nas coisas mais simples da vida, na família e nas relações de trabalho, dando as pessoas respeito, honra, consideração. Essa é a solidariedade que vem de Deus”, esclareceu.

Fazendo a diferença
Foto: Instagram

Em Paulista (PE), a Igreja do Amor criou uma espécie de “Mercado Solidário”. Ao invés de entregar cestas básicas, as pessoas podem escolher os produtos que precisam. São disponibilizados por mês uma tonelada de alimentos. O mercado também oferece produtos de higiene pessoal e roupas.

O Mercado é mantido através de doações. Todos os membros da Igreja se envolvem na causa. O pastor da igreja, Arthur Pereira, disse que o projeto é para atender famílias em situação de vulnerabilidade social. Mais de 40 famílias são contempladas. “Um pai, por exemplo, pode entrar e escolher um biscoito recheado para o filho e pagar com o dinheiro solidário que ele ganhou”.


Leia mais

Igreja solidária, Igreja que ama

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!