78 crianças são raptadas de escola cristã em Camarões

Soldado de elite de Camarões patrulhando a cidade onde aconteceu o sequestro. Foto: Reuters

O grupo da Presbyterian Secondary School de Bamenda ficou por dois dias sequestrado. Os estudantes adolescentes e um motorista foram libertados nesta quarta-feira (07). Diretor e professor seguem raptados

Os 78 estudantes adolescentes e um motorista sequestrados no noroeste de Camarões, região mergulhada num conflito armado entre separatistas e as forças de segurança, foram libertados nesta quarta-feira (7). Porém, um diretor e um professor ainda estão sendo mantidos reféns pelos homens armados.

“Louvado seja Deus! 78 crianças e o motorista foram libertados. O diretor e um professor ainda estão com os sequestradores. Vamos continuar orando”, disse Samuel Fonki, ministro da Igreja Presbiteriana em Camarões.

Entenda

O sequestro das crianças aconteceu na última segunda-feira (05). Os criminosos entraram em uma escola cristã antes do amanhecer na cidade de Bamenda, na região Noroeste de língua inglesa. As crianças, seu diretor e um motorista foram levados para o mato fora da cidade, disseram fontes militares e do governo, e o exército começou a vasculhar a área.

Escolas foram fechadas por toques de recolher. Um porta-voz separatista negou envolvimento no sequestro. ‘No total, 81 pessoas foram sequestradas, incluindo o diretor [da escola]. Eles foram levados para o mato”, disse uma fonte militar à Agência de Notícias Reuters.

Um porta-voz do exército confirmou o sequestro, mas se recusou a dizer quantos foram levados. Ele disse que é mais provável que tenha sido realizado por separatistas. O porta-voz separatista culpou os soldados do governo..

Samuel Fonki, Reverendo da Igreja Presbiteriana em Camarões, disse à Reuters que está moderando a libertação das crianças. Ele disse que os separatistas eram responsáveis.

‘Eles dizem que eu tenho que fechar a escola. Eles pediram um resgate, embora nenhuma quantia tenha sido especificada”, explicou.

Samira Daoud, vice-diretora regional da África Ocidental e Central da Amnistia Internacional, disse: ‘Em um caso com um eco arrepiante dos sequestros de 2014 das alunas Chibok na Nigéria, é vital que o governo de Camarões aja rapidamente e decisivamente para reunir essas crianças com seus familiares.

“Expressamos solidariedade às famílias dessas crianças e exigimos que as autoridades de Camarões façam tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que todos os alunos e funcionários da escola sejam libertados ilesos.”

A Unicef disse que a organização “condena veementemente o ataque denunciado e pede a libertação imediata e incondicional de todas as crianças raptadas”.

O movimento separatista ganhou ritmo em 2017 após uma repressão do governo a manifestações pacíficas. Uma das queixas originais era que os professores francófonos, que têm falam francês, estavam sendo enviados para escolas de língua inglesa nas regiões noroeste e sudoeste.

A violência se intensificou em 2018, inclusive durante uma ofensiva do exército em que civis foram mortos. Muitas pessoas fugiram de Bamenda e de outros centros para buscar refúgio em regiões francófonas mais pacíficas.

O missionário norte-americano Charles Wesco foi morto a tiros na semana passada em um suposto ataque de separatistas a caminho de Bamenda.

*Com informações de Christian Today.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!