Mordomia da Criação

1 de 12 – Mudando a Lâmpada
‘Daquele momento em diante Jesus passou a pregar e dizer: arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos Céus’ – Mateus 4.17.

Quando nos referimos ao tema da sustentabilidade, nossa mente se volta diretamente para as questões relacionadas ao planeta, e à vida humana na terra. Particularmente não acredito que a lição principal está na forma como lidamos com as questões ambientais. Vivemos dias alarmantes em que, cada vez mais, o terrorismo chega perto de todos nós; e, quando nos referimos ao tema, não estamos nos atendo apenas ao que tem vindo da parte do extremismo islâmico. O Brasil vive um tipo de extremismo que tem afetado substancialmente a vida da sociedade, e temos observado a queda nos níveis de confiança nas instituições.

Desta forma, não bastam os esforço para fazer da terra um lindo e sustentável jardim, mas reconsiderar o homem, o que temos nos transformado, o que temos feito uns com os outros e qual o nosso destino.

As temáticas, numa sequência de doze temas, debaterão questões práticas relativas às ações simples que podemos empreender para contribuir para que, ‘quem sabe?’, tenhamos um dia o nosso belo jardim, mas lançaremos um olhar sobre nós mesmos, enquanto agentes de mudança, pensando as mudanças pessoais que precisamos experimentar.
No tocante às lâmpadas, até bem pouco tempo a grande maioria de nós fazíamos uso das lâmpadas incandescentes. Mais tarde, apareceram no mercado as lâmpadas fluorescentes compactas. Agora, a novidade são as lâmpadas de LED.

O problema das lâmpadas incandescentes é que elas consomem muita energia, o que faz com que nossa conta de energia fique mais cara; e não somente isto: por causa do maior consumo de energia, a nação precisa disponibilizar mais e mais fontes geradoras e, em nosso caso [Brasil], isto demanda mais usinas hidrelétricas, que comprometem nossos rios e florestas, e sua fauna e flora.

As lâmpadas fluorescentes compactas e as de LED consomem menos energia e tornam nossa conta mensal de energia mais baratas e, com isto, a nação poderá manter a disponibilidade de energia atual, sem a necessidade de maior comprometimento do meio ambiente. A questão é que as lâmpadas de LED ainda são muito caras. Uma solução razoável é a troca de todas as lâmpadas incandescentes para lâmpadas fluorescentes compactas em todos os domicílios brasileiros.

Se você quiser calcular a economia, uma lâmpada incandescente de 60 Watts de potência custa apenas R$ 2,50, mas gera um gasto anual de mais de R$ 60,00. Uma lâmpada fluorescente compacta de 15W custa R$ 9,00, mas tem um gasto anual de cerca de R$ 24,00. Fazendo uma continha simples, se você trocar apenas uma lâmpada em sua casa, vai economizar R$ 30,00. E, vai ter melhor claridade, e vai cooperar com o meio ambiente e com a nação.

Bem, e o que isto tem a ver comigo? Com a minha vida interior? Quando Jesus vem e traz uma nova linguagem, a linguagem do Reino, estabelecendo uma Nova Aliança no seu sangue, está, dentre outras coisas, incumbindo aos seus escolhidos a tarefa de ser a luz para um mundo em trevas, conforme Mateus 5.14. Não penso na luz própria que sociedade moderna considera que tenhamos, mas a luz que vem de Deus deve ser revelada através de nós.

A linguagem do Reino é antagônica à linguagem do mundo. Para que esta linguagem se torne clara diante dos homens, precisamos passar pela renovação do nosso entendimento, como novas criaturas, para que a revelação de Deus em nós seja mais e mais efetiva.

A lâmpada amarela, que esquenta – e queima – facilmente, já não pode revelar quem Jesus é em nós. Precisamos ser lâmpadas que vivam com mais claridade e que transmitam desta claridade, que vem de Deus, com mais intensidade no mundo em trevas no qual vivemos.
Assim como a troca das lâmpadas são capazes de influenciar o meio ambiente e economia nacional, a nossa transformação como reveladores da luz de Deus em nós, é capaz de influenciar as pessoas, e a sociedade em trevas, para que vejam que há esperança, e que há uma vida sustentável, física, mental e espiritualmente.

Nisto pensai!