Evangelismo e aconselhamento de braços dados no JVV

Conselheiros do JVV
Conselheiros são preparados para abordagem. Foto: Arquivo/ Comunhão

O trabalho de evangelização é a essência do Jesus Vida Verão. E os responsáveis por isso são os conselheiros. Em janeiro, cerca de 300 vão entrar em ação para ficar a disposição dos participantes.

No palco, os cantores ministram, oram e propagam a palavra através da música. Mas é na platéia onde tudo acontece. A maioria do público que assiste é cristão. Mas também tem quem não conheça o evangelho. E até casos de drogados, traficantes e delinquentes.

O objetivo do Jesus Vida Verão é levar a Palavra de Deus. Falar de amor, fé, esperança e salvação às pessoas. Entra em ação a figura dos conselheiros. Eles estão prontos para ouvir e conversar quem precisa de ajuda, consolo espiritual e conhecer a verdade do cristianismo. E geralmente estão uniformizados e identificados pelo JVV.

“A essência do JVV é de ver pessoas aos pés de cristo. E o meio de saber que isso está acontecendo é vê-las manifestando suas decisões. É nesse trabalho com os conselheiros que conseguimos filtrar o valor dessas decisões. Por isso é preciso fazer abordagem para que possamos trazer pessoas para Cristo”, declarou o pastor Henry, responsável pela equipe de aconselhamento do JVV.

Conselheiros do JVV
Equipe de aconselhamento faz a diferença no JVV. Foto: Arquivo/ Comunhão
Treinamento

Cerca de três meses antes, os conselheiros passam por um treinamento específico. Eles recebem noções de evangelismo e abordagem rápida de pessoas. A equipe é preparada para explicar o plano de salvação e tirar dúvidas. São adolescentes, jovens e até idosos prontos para atender o publico.

Segundo o pastor, em cada evento, cerca de 700 pessoas são atendidas pelos conselheiros. A equipe faz a abordagem, coleta os dados da pessoa. Eles são catalogados e enviados para igrejas próximas. “Lá no evento a pessoa ganha um novo testamento e um pão diário como lembrança para meditar na palavra de Deus. Mas a continuidade do trabalho é feito pelas igrejas”, explicou.