As ações de Audifax Barcelos


“Atrair indústrias para a Serra é um desafio que temos enfrentado diariamente em função dos nossos grandes concorrentes, que são os municípios atendidos pela Sudene”

Pela segunda vez como prefeito da Serra, Audifax Barcelos anunciou para 2015 investimentos de R$ 330 milhões, focados em saúde, educação, infraestrutura, habitação e outros itens importantes para a cidade que mais cresce na região metropolitana. Membro da Igreja Batista desde os 18 anos, ele estará à frente do município até 2016. Em entrevista para a Comunhão, fala sobre sua gestão e tudo que quer executar até o final do seu mandato. Audifax conta ainda como tem preparado a cidade para receber um dos maiores eventos gospel do país, o Festival Promessas Celebra Espírito Santo, realizado pela Revista Comunhão/Next Editorial em parceria com a TV Gazeta/Rede Globo, que acontece no dia 28 de fevereiro, na praia de Jacaraípe.

Quais os investimentos previstos para 2015 no município da Serra?
São R$ 330 milhões em investimentos na cidade este ano. Temos algumas prioridades, e saúde continua sendo a primeira delas. Tivemos dados maravilhosos na saúde durante estes últimos dois anos. Hoje, a Serra é um dos pouquíssimos municípios no país com população de mais de 500 mil habitantes que coloca quase 25% da receita na saúde; o mínimo preconizado por lei é 15%. É um número inédito Brasil afora. Nossa outra prioridade é habitação. Vamos entregar até 2016 aproximadamente 2 mil imóveis para a população; 400 casas em Vila Nova de Colares, outras 400 em Novo Horizonte, na estrada que liga o bairro a Manguinhos, e mais 1,2 mil apartamentos no bairro Ourimar, que fica entre Vila Nova de Colares e Manguinhos. Vai dar um impacto grande na cidade. Na terceira prioridade estão a pavimentação e as obras deste ano. Vamos entregar 16 creches para a população; acho pouco provável alguém entregar em um ano um número como esse de unidades de educação infantil.

Desse valor, o que será destinado para infraestrutura em todo o município?
Vamos este ano iniciar três encostas, em Nova Carapina, Planalto Serrano e José de Anchieta, onde tinha barreiras caindo. Ainda em infraestrutura, temos várias pavimentações de ruas da cidade.Temos ainda uma obra de mais de R$ 150 milhões, a chamada rotatória do “O”, em frente ao Hospital Dório Silva, em Laranjeiras, onde vamos construir passarelas, viaduto, uma estrada e um mergulhão para melhorar o acesso aos bairros daquela região. Estão previstas as obras de Castelândia, com calçadão, ciclovia, melhora da iluminação, e do calçamento e do estacionamento. Ainda temos um sonho grande, que não sabemos se vamos começar este ano, nas orlas de Bicanga e do Balneário de Carapebus; uma obra muito cara, que estamos tentando enxugar o valor para ver se conseguimos os recursos. Atualmente ela está orçada em R$ 30 milhões. É uma orla que não tem nada, temos que começar a pavimentação do zero, porque lá temos mar, areia, vegetação e casas. Há um ano estamos tentando conseguir junto aos governos do Estado e Federal e não tivemos sucesso, mas vamos continuar tentando.Há ainda o corredor de ônibus que vai do Terminal de Carapina até o Terminal de Laranjeiras pela BR-101; essa obra é do Governo do Estado. Vamos fazer o trecho do Terminal de Laranjeiras até o Terminal de Jacaraípe.

Em educação, quais as novidades?
Na época de campanha, assumimos o compromisso de melhorar a educação infantil. Vamos fazer este ano. Estamos com 16 novas creches sendo entregues à cidade, que são quase 5 mil novas vagas. Algo que vai impactar na educação infantil, uma mudança geral na Serra. Iniciamos no ano passado uma escola de tempo integral e agora estamos prevendo começar mais três escolas nesses moldes em Central Carapina, Vila Nova de Colares e Serra-Sede, outro diferencial do nosso município. Implantamos também na primeira série do ensino fundamental as aulas de inglês, algo extraordinário. Temos várias escolas em reforma. Pretendo este ano iniciar as obras em três escolas novas, em Divinópolis, Novo Porto Canoa e Gaivotas, e iniciar as obras e entregar algumas escolas novas em Barcelona, Serra-Sede e Central Carapina. Tivemos dois anos de muita dificuldade financeira, eu falo que foram anos de arrumação de casa em função das dívidas que herdamos. Uma delas foi a questão dos uniformes escolares que foram comprados e não foram pagos. Uma compra equivocada, em excesso, que tivemos que pagar, e o Tribunal de Contas está analisando. Mas acertamos esses problemas em dezembro do ano passado; este ano conseguimos distribuir às nossas crianças e estamos nos organizando para entregar no ano que vem também.

O senhor disse que elegeu a habitação como uma de suas prioridades. O que mais é necessário para melhorar o déficit habitacional da Serra?
Não é só em construção de casas, mas a regularização fundiária da cidade também. Na Serra quase 40% dos seus moradores não têm documento de onde habitam, infelizmente. Então estamos regularizando esses imóveis. Começamos por Divinópolis no ano passado; este ano vamos regularizar Jardim Carapina, Feu Rosa, Vila Nova de Colares, Planalto Serrano, Jardim Tropical e Tubarão, e no ano que vem os outros que faltam ser regularizados. Isso é algo maravilhoso para a população, porque o morador passa a ter seu título de propriedade, uma garantia para o futuro, garantia de acesso ao empréstimo para melhorar sua casa e uma forma de deixar sua herança para seus filhos.

Existe uma demanda para atender às necessidades em esporte, cultura e lazer também?
Preciso resolver este ano uma grande questão na área do esporte, por erros gravíssimos de projeto, com risco de queda, na obra do Riviera. Pretendo resolver esse problema de vez e regularizar essa situação para reiniciar essa obra. No bairro Porto Canoa, temos o Centro de Artes e Esportes, em 1,8 mil metros quadrados. Um espaço que contará com salas de multiúso, espaço para a terceira idade, Centro de Referência e Assistência Social (Cras), biblioteca com telecentro, cineteatro com 125 lugares, pista de skate, equipamentos de ginástica, playground, quadra poliesportiva coberta, quadra de areia, jogos de mesa e pista de caminhada.E ainda no primeiro semestre de 2015 serão retomadas as obras da praça do bairro Barro Branco e em Nova Carapina II, obras que estavam paralisadas e que vamos retomar. Temos ainda a revitalização do canteiro central da Avenida Terceiro Mundo, em Cidade Continental. Várias praças saudáveis em Vista da Serra, Blobo B, Alterosa, que vamos entregar nos próximos meses.

Na saúde, o que há de novidades quanto a unidades e programas no município?
Na saúde, tínhamos um grande desafio de atender à população em 100% dos remédios que conseguimos. Também precisávamos aumentar a abrangência de médicos, e atendemos. A Serra é o único município do Espírito Santo que tem duas UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) e vai ter uma terceira em Castelândia, um investimento de R$ 5 milhões. A UPA de Carapina atende mais de 10 mil pessoas por ano que são de outros municípios, sendo mil de Vitória. Mas atendemos de Cariacica, Vila Velha, Fundão, de todo o Estado, porque são praticamente dois hospitais.Fizemos um projeto importante nas policlínicas, o “Acolher Mais”, para mudar o atendimento na porta de entrada, e a partir de abril vamos mudar esse atendimento em todas as unidades de saúde.Entendemos que a porta de entrada não está boa nas unidades de saúde, é um desafio nosso melhorar esse atendimento. O atendimento médico está satisfatório, os exames estão indo bem, os medicamentos também, mas temos que melhorar a porta de entrada, e vamos fazer uma mudança terceirizando serviços. Temos ainda a ampliação da unidade de Jardim Tropical e a construção da Unidade de Saúde de São Marcos, que será entregue este ano e vai impactar toda a região do Civit.

Quanto à escassez de água em todo o Estado, quais têm sido as ações do município da Serra para minimizar esse problema?
Estamos discutindo com o governador (Paulo Hartung) medidas a curto e longo prazo. De imediato, baixamos um decreto para evitar uso de água para molhar jardim e controlar mais rigorosamente a utilização da água na escola. Agora, temos que pensar no futuro.A Serra tem um manancial rico, e levamos ao Governo do Estado algumas sugestões, com investimentos importantes. Uma sugestão nossa é a utilização de uso de água do Rio Reis Magos, na divisa de Serra e Fundão. Eu vi no jornal que a Cesan está prevendo usar essa água até dezembro para abastecer a nossa cidade e parabenizo o governador por ter aceitado nossa sugestão. A outra ideia é a utilização das nossas lagoas, para uso industrial da Jacuném e da Juara para as empresas do Civit e do entorno. Vamos cuidar das nossas nascentes. Temos muitas ao redor do Mestre Álvaro, e estamos estabelecendo com os agricultores e os empresários do entorno algum plano de utilização da água nessa região com o objetivo de preservar o que temos.A Serra é um dos municípios que mais têm crescido economicamente no Estado e ainda tem mais espaço para se desenvolver. A que se deve isso? Existe alguma expectativa ou negociação de algum empreendimento que pode gerar emprego e renda para o município?Esse é um desafio que temos enfrentado diariamente em função dos nossos grandes concorrentes, que são os municípios atendidos pela Sudene. Eles têm isenção fiscal, que pesa de forma muito forte, e disputar com esses municípios é um desafio muito grande.Oferecemos a essas empresas áreas, porque temos muitos terrenos disponíveis. Temos ainda sete polos industriais instalados na cidade, prontos para as indústrias. Além da questão logística, porque estamos próximos do aeroporto, temos um porto, uma ferrovia e uma BR. Temos colocado isso para os empresários, mas a questão fiscal ainda tem pesado muito. A cidade, de forma natural, tem passado a ser não mais industrial, mas de comércio e de serviços, crescendo nessa linha com shoppings e hotéis, o que é natural e positivo.Mas não queremos abrir mão das indústrias. Estamos trabalhando para que elas permaneçam aqui, e temos área para atendê-las ainda, tanto que costumo dizer que na Serra cabem Vitória, Vila Velha, Cariacica e sobra terra. Temos conversado com algumas empresas na área de serviço que estão interessadas em se instalar aqui.

Quais as demandas que o senhor pretende atender até o final do seu mandato?
Mesmo entregando 16 creches este ano, ainda precisamos de mais. Quando fui prefeito há oito anos, a cidade era a terceira em número de habitantes e hoje é a primeira. A questão da educação infantil ainda é um grande desafio.Precisamos oferecer mais áreas de lazer, mudar a orla de Jacaraípe até o final do mandato. E mesmo fazendo muito este ano, em saúde e habitação queremos fazer mais até 2016.

Qual a sua expectativa para o Festival Promessas Celebra Espírito Santo? Qual o impacto que o evento deve trazer para o turismo de Jacaraípe?
Eu agradeço à Revista Comunhão por ter nos ajudado no processo da escolha da Serra para abraçar esse evento. Estamos nesse projeto ajudando na questão da iluminação, do palco, e entendemos que o investimento dá retorno para a população não só da Serra, mas do Estado em geral.Nossa expectativa é das melhores, vamos acompanhar pessoalmente o evento. Isso vai trazer coisas boas para as cidades turísticas, vai levar o nome da cidade para fora do Estado, o nome de Jacaraípe (local do evento) será ainda mais conhecido no Espírito Santo e no Brasil.Os hotéis e o comércio saem ganhando com isso. Esse evento será um divisor de águas para levar o nome da Serra e de Jacaraípe para fora do Espírito Santo.

Como a cidade se preparou para receber um evento como esse, de nível nacional? Pode falar um pouco sobre a Arena Encontro da Águas?
Será a primeira vez que não vamos fazer um evento deste na Praça Encontro das Águas. Vamos fazer na areia, com a estrutura mais próxima da praia, um palco muito bonito, com a melhor sonorização possível. Esperamos que dê certo porque queremos que o evento continue em nossa cidade. Toda a equipe da prefeitura está focada nesse evento.

Como foi preparada a estrutura para o verão 2015?
Fizemos vários investimentos no verão deste ano. O movimento excelente em Manguinhos, os eventos nas praias como em Nova Almeida, com shows seculares. Além disso, o Serra Verão com Jesus, em Jacaraípe, também foi um sucesso.Instalamos internet nas praias de Jacaraípe, na Praça Encontro das Águas; no Centro Integrado, no Barrote; em frente ao Hotel Praia Linda; próximo ao point de surfe Solemar; na Praça Central em Manguinhos, no carnaval. Temos desejo de ampliar ainda este ano para Nova Almeida, Serra-Sede e Parque da Cidade, em Laranjeiras. Tivemos ainda pela primeira vez o índice de violência reduzido, mas nos organizamos para isso neste verão, e os resultados foram muito abençoados.

Compartilhe