ES lança Movimento de Combate a Violência contra a mulher

Governador do ES, Paulo Hartung no lançamento do Movimento de Combate à Violência contra Mulher

Foi lançado hoje em Vitória, o Movimento de Combate à Violência contra a Mulher. A campanha tem o apoio da sociedade capixaba e lideranças evangélicas.

A ação, desenvolvida pelas Secretarias Estaduais de Direitos Humanos e de Segurança Pública, tem o apoio de empresas, instituições públicas e igrejas evangélicas do Estado. A campanha é para alertar a sociedade quanto ao alto índice de violência contra mulher, sobretudo os casos de feminicídio.

Segundo a secretaria estadual de segurança pública, são cem mulheres mortas no Espírito Santo, sendo que muitos casos acontecem por simplesmente “serem mulheres”. “O Governo não pode tudo. Precisamos que a sociedade nos ajude a cuidar das mulheres, para isso, é preciso que cada um dê sua parcela de contribuição”, justificou o secretário.

Presente no evento e apoiador da campanha, o Pastor Evaldo Santos, da Igreja Batista Praia da Costa, em Vila Velha, destacou o valor da Mulher segundo a bíblia, mas que estão perdidos na sociedade. Finalizou dizendo que a mulher precisa ser inesquecível: “Precisamos que a mulher seja vista pela visão de futuro. Se nós unirmos forças e buscarmos direção divida, o Estado do Espírito Santo será conhecido como um lugar das mulheres inesquecíveis pela sua garra e pelo seu valor.”

Na página do governo do Estado no Facebook foram várias manifestações de internautas apoiando o movimento: “Que bênção! Que a palavra de Deus cumpra no ES”, declarou Shirley Mattos. “Muito importante para toda sociedade” Respeito e amor pela Mulher e pela vida digna!”, disse Telma Pagiola. Muitos também expressaram palavras de incentivo: “Você pode fazer a diferença! Chega de violência! Eu não aceito assédio”, afirmou Rozana Ottoni.

A campanha estará presente em todos os veículos de comunicação. Será um movimento em favor da cultura da paz. A ideia é para que os capixabas sejam multiplicadores. “Vamos unir o ES, respeitando todas as diferenças. Esse é um desafio de Estado. O governo tem papel e responsabilidade de fazer políticas publicas, mas que não faz isso sozinho”, declarou o governador do ES, Paulo Hartung.