Perseguição – Dezenas de cristãos são detidos na China

Presidente chinês, Xi Jinping, agravou a perseguição contra as igrejas. Foto: Reprodução/Getty Images

As autoridades chinesas consideram ilegais as igrejas que não aceitarem ser supervisionadas pelo Governo

A polícia deteve dezenas de fiéis e líderes de uma das igrejas domésticas protestantes mais proeminentes da China, disseram membros da congregação e ativistas, na mais recente ação do governo contra grupos religiosos não registrados.

Equipes de policiais e autoridades de segurança do Estado na cidade de Chengdu, no sudoeste do país, chegaram aos lares de líderes e membros da Early Child Covenant Church no domingo e os detiveram, segundo comunicados enviados aos membros da Igreja e repassados ​​à Reuters por fiéis e ativistas.

“A hora chegou. Ó Senhor! Você não estabeleceu esta igreja para este propósito?”, a igreja disse em um de seus anúncios.

“Nós vamos esperar por você, como um vigília espera pelo amanhecer.”

Acredita-se que mais de 100 pessoas foram detidas, disse um ancião da igreja, que se recusou a ser identificado.

Nem os Ministérios de Segurança Pública de Chengdu nem a nível nacional responderam aos pedidos de comentários por fax.

perseguição

A Constituição da China garante a liberdade religiosa, mas desde que o presidente Xi Jinping assumiu o cargo há seis anos, o governo aumentou as restrições religiosas vistas como um desafio à autoridade do Partido Comunista.

A lei chinesa exige que todos os locais de culto se registrem e se submetam à supervisão do governo, mas algumas igrejas se recusaram a registrar, por várias razões.

A Early Rain Church é uma das igrejas domésticas não registradas mais conhecidas na China.

Os membros da igreja não puderam contatar o pastor Wang Yi, o fundador da igreja, ou sua esposa, e os grupos da igreja na plataforma de mensagens instantâneas WeChat também foram bloqueados, disse a igreja em um anúncio.

O jornalista de Pequim Ian Johnson, que escreveu sobre Wang e sua congregação em seu livro de 2017, The Souls of China, disse no Twitter que a repressão foi “uma notícia realmente preocupante”.

“Receio que isso seja parte de uma repressão maior contra igrejas cristãs não registradas, à medida que o governo pressiona seus esforços para dominar a sociedade”, escreveu ele.

A polícia disse a Zhang Xianchi, 84, um conhecido autor e membro da igreja, que não deve visitar a igreja, porque ela foi “ilegal” e que todos os seus principais líderes foram detidos, segundo um relato de Zhang compartilhado pela igreja.

Um vídeo postado online por ativistas na China e no exterior, mostrou um grupo de cerca de uma dúzia de policiais à paisana levando os frequentadores da igreja para longe de uma reunião.

Na gravação, a polícia disse a uma mulher que levaria um homem ao departamento de segurança pública municipal para ser investigado, enquanto uma criança chorava ao fundo.

“Estou lhe dizendo que estamos aplicando a lei”, disse um policial à mulher.

Igrejas em toda a China têm mais pressão para registrar desde que um novo conjunto de regulamentações para governar os assuntos religiosos entrou em vigor em fevereiro e aumentou as punições para as igrejas não-oficiais.

*Com informações da Christian Today.


leia mais

China barra cristãos em aeroportos
China – Líderes pedem o fim da violência contra cristãos
Cristãos são levados para campos comunistas na China

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!