Campori de Desbravadores reúne 16 mil adolescentes adventistas em Ipatinga

Adolescentes do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais participaram do Campori de Desbravadores realizado na cidade de Ipatinga, MG. O evento aconteceu entre os dias 27 e 31 de julho, no Parque Ipanema, região central da cidade, e é promovido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia a cada cinco anos.

O encontro teve gincanas esportivas e olimpíadas do conhecimento entre os mais de 450 clubes de desbravadores participantes. Cultos diários, pela manhã e à tarde, foram realizados no Estádio Ipatingão, com a participação de cantores como Rafaela Pinho e Quarteto Athus;  e peças teatrais.

O líder mundial dos desbravadores, Jonatan Tejel, esteve no encontro. “Neste último mês participei de Camporis na Indonésia, Rússia, Peru e agora no Brasil, e é emocionante como os desbravadores têm mudado a vida de adolescentes em todo o mundo, formando cidadãos conscientes e bons cristãos”, disse.
Uma verdadeira cidade foi montada no parque, já que os participantes representam cerca de 10% do total da população de Ipatinga, e é uma quantidade de pessoas maior que os que residem em mais de 3500 cidades brasileiras. Um milhão de litros de água foram usados diariamente, 5 km de fios elétricos, e 3 km de cerca para a área de camping são alguns números que mostram a grandiosidade do Campori.

O evento teve até um banco com moeda própria, que faz parte de uma iniciativa de educação ambiental, para o recolhimento de materiais recicláveis que geram renda a catadores da cidade e também para que o parque ficasse limpo. “Os adolescentes recolhem garrafas, palitos, papéis e trocam por camporitos, e com esse dinheirinho dão lances em um leilão de itens próprios para os desbravadores, como barraca, cantil, coletes, etc.”, explica Victor José Machado, desbravador capixaba, tesoureiro do Banco Global.

Olimpíadas esportivas
Durante dois dias todos participaram de competições em grupo, como corrida de carrinho de rolimã, confecção de nós e amarras, arremesso a distância, e outras atividades típicas de desbravadores, como a disputa para o clube que conseguia acender fogo sem fósforo no menor tempo possível. “Estas atividades eles desenvolvem ao longo do ano, e no Campori eles competem fortemente”, explica Ivay Araujo, organizador.
 

Ações sociais
No sábado (30/07), o grupo se dividiu para realizar ações sociais em vários pontos da cidade. Quatro feiras de saúde receberam cerca de cinco mil pessoas para atendimento gratuito feito por médicos, enfermeiros, nutricionistas e educadores físicos. A ideia foi apresentar os oito remédios que a natureza oferece para a saúde e longevidade.
O ribeirão Ipanema, que corta o parque que sediou o Campori, teve um mutirão de reflorestamento da margem, onde mais de mil mudas de 15 espécies foram plantadas. Outros seis mil desbravadores fizeram um desfile cívico pela cidade.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!