Bolsonaro anuncia junção de ministérios e confirma Marcos Pontes

Esplanada dos Ministérios (Arquivo/Agência Brasil)

Uma das medidas adotadas pelo presidente eleito para redução de custos da pasta de Agricultura ao Meio Ambiente e criará superministério da Economia.

Jair Bolsonaro (PSL) ainda não assumiu o cargo de presidente da República, mas já está causando polêmica ao anunciar que em seu governo fundirá os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, assim como fará com a Economia, que fundirá com a da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e do Comércio Exterior.

Durante reunião, realizada nessa terça-feira (30), na casa de Paulo Marinho, no Rio de Janeiro, coordenador de economia da campanha de Bolsonaro, Paulo Guedes, apontado como futuro ministro da Economia, confirmou a criação do superministério.

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), indicado para Casa Civil, reafirmou sobre a fusão do Meio Ambiente com a Agricultura. Em entrevista aos jornalistas, após a reunião, ele afirmou que o objetivo é reduzir de 29 ministérios para 15 ou 16. Guedes acrescentou que a junção das pastas é importante para dar agilidade às decisões.

“Nós vamos salvar a indústria brasileira. Está havendo uma desindustrialização há mais de 30 anos. Nós vamos salvar a indústria brasileira, apesar dos industriais brasileiros”, disse Guedes.

Segundo ele, as medidas tem como objetivo simplificar e reduzir drasticamente o número de impostos. “Será uma abertura gradual. E a razão do Ministério da Indústria e Comércio estar próximo da Economia é para justamente existir uma mesma orientação econômica em tudo isso. Não adianta a turma da Receita ir baixando os impostos devagar e a turma do Ministério da Indústria e Comércio abrir muito rápido. Isso tudo tem que ser sincronizado, com uma orientação única.”, avaliou.

REUNIÕES

Guedes e Onyx trataram sobre a formatação do governo e o início dos trabalhos da transição. Nesta quarta-feira (31), Onyx deverá ir a Brasília para se reunir com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que coordena a equipe de transição do governo Temer.

Já Bolsonaro se reunirá com o presidente Michel Temer em breve. Em entrevistas a emissoras de televisão, ele afirmou que pretende ir a Brasília na próxima semana quando se reunirá com o presidente e também pretende agilizar o debate sobre a reforma da Previdência.

Astronauta Marcos Pontes. Foto: Reprodução
Quatro nomes confirmados

Na manhã desta quarta-feira (31), o presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou a indicação de Marcos Pontes para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Além de Tenente-Coronel e astronauta, ele é engenheiro formado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Esse é o quarto nome confirmado para o novo governo. Além de Paulo Guedes e Onyx Lorenzoni, outras indicações previstas são: General Augusto Heleno Ribeiro, para Ministério da Defesa e o juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça.

publicação

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Jair Bolsonaro 17 (@jairmessiasbolsonaro) em

leia mais

Bolsonaro deve chamar Moro para Ministério da Justiça ou STF
A primeira reunião de Bolsonaro com equipe de governo

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!