Bolsonaro e Haddad vão disputar o 2º turno

Foto: Reprodução

Candidatos de PSL e PT foram os mais votados neste domingo (7). A população volta às urnas no domingo, dia 28 de outubro.

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) vão decidir no segundo turno quem será o presidente do Brasil pelos próximos quatro anos. É o que apontou a apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgados na noite deste domingo (7).

Os dois candidatos disputam a Presidência pela primeira vez. Eles foram os mais votados entre os 13 postulantes ao Palácio do Planalto. Esta é a oitava eleição presidencial por meio do voto direto desde a redemocratização, no fim da década de 1980. O vencedor vai governar o Brasil de 1º de janeiro 2019 a 31 de dezembro de 2022.

O processo de votação no país se encerrou as 17h, pelo horário de Brasília. Apenas em alguns estados terminou mais tarde por conta do fuso horário. A partir das 19h, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passou a divulgar os resultados da apuração da eleição presidencial.

O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, os dois primeiros colocados foram dos dois partidos, e houve duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

Resultados

Bolsonaro tem 46,66% dos votos válidos e não tem mais chance matemáticas de fechar com mais de 50% dos votos. Fernando Haddad (PT) está com 28,43%. Os dois voltam a se enfrentar no dia 28 de outubro.

Em terceiro lugar está Ciro Gomes (PDT), com 12,52%. Ele é seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 4,82% e João Amoedo (Novo), com 2,57%. Os votos em branco somam 2,67% e os nulos, 6,11%. Até o momento, a abstenção registrada é 20,33%.

Campanha

A campanha eleitoral teve início em agosto com 13 candidatos à Presidência da República. Foi o maior número de concorrentes desde 1989, quando houve 22 postulantes. A corrida ao Planalto deste ano foi marcada por dois fatos que podem ter influenciado o desempenho de outras candidaturas.

Um deles foi a rejeição do registro de candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. O PT substituiu o ex-presidente por Fernando Haddad. Outro fato foi quando Bolsonaro levou uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) e ficou 23 dias internado.

*Com informações da Agência Brasil 


Leia mais

Eleições – Começa oficialmente a votação no Brasil 
O que pode e o que não pode no dia da eleição
Igrejas do Alagoas cancelam cultos nas eleições
Eleições – Quem pode e quem não pode votar
Concluída votação em 18 países no exterior

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!