Após 20 minutos, corpo já começa a sentir os benefícios de parar de fumar

Foto: Reprodução

Em duas horas, a nicotina já não está mais na corrente sanguínea e, depois de 8 horas sem fumar, o oxigênio do sangue aumenta, atingindo níveis normais.

Há 18 anos ficava proibida a propaganda de produtos derivados de tabaco em revistas, jornais, outdoors, televisão e rádios. Patrocínio de eventos culturais e esportivos e associar o fumo à práticas esportivas também deixou de ser permitido. E, desde então, o combate ao fumo foi só aumentando, com regras cada vez mais rigorosas.

Com mais de 4,5 mil substâncias em sua composição, o cigarro é causa comprovada de muitos tipos de câncer (no caso do de pulmão, está na origem de 90% dos diagnósticos) e está associado também a diversos outros problemas graves de saúde, como infarto, acidente vascular cerebral e outras doenças do sistema cardiovascular. O número de mortes causadas pelo tabagismo no Brasil chega a 156 mil ao ano, de acordo com um estudo de 2015 da Fiocruz.

Que faz muito mal ao corpo todo mundo já sabe. Os malefícios mais sérios, muitas vezes, aparecem apenas a médio e longo prazo. O que muita gente não sabe é que, por outro lado, quando se decide abrir mão desse hábito nocivo à saúde, os primeiros benefícios podem surgir rapidamente, segundo destaca a pneumologista da Unimed Vitória Karina Tavares. “Claro que é preciso um tempo maior sem o fumo para que os reflexos positivos sejam maiores, mas há estudos científicos que revelam que ficar sem o cigarro, em pouco tempo, já proporciona importantes efeitos à saúde”.

Após 20 minutos sem o cigarro, por exemplo, a pressão sanguínea e a pulsação se normalizam e a temperatura de pés e mãos aumentam. Em duas horas, a nicotina já não está mais na corrente sanguínea e, depois de 8 horas sem fumar, o oxigênio do sangue aumenta, atingindo níveis normais.

“Em até 24 horas sem fumar, o pulmão já tem um ganho em seu funcionamento. Em 48 horas, a pessoa percebe que o olfato começa a ficar mais apurado, assim como o paladar, e o ex-fumante consegue sentir melhor o sabor dos alimentos”. Além disso, em dois dias, as terminações nervosas começam a se adaptar à ausência de nicotina no organismo. Em três dias, os brônquios relaxam.

Outras melhoras, de acordo com a médica, podem ser notadas em um prazo curto após parar de fumar. Em pouco mais de um mês, a respiração se torna mais plena, a circulação sanguínea, de modo geral, também evolui, e a resistência para exercícios físicos aumenta. Em um ano sem cigarro, há dados que mostram que o risco de infarto e derrame cai pela metade. E, entre 5 e 10 anos, esse risco se iguala ao das pessoas que nunca fumaram. Em 10 anos, o risco de câncer de pulmão é reduzida pela metade e a chance de ter outros tipos de câncer causados pelo cigarro também diminui.

Leia mais

Dia Nacional da Saúde lembra a importância do check-up
Ministério da Saúde quer combater Fake News
Monitore sua saúde pela palma da mão

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!