As lições dos Serafins

Clovis Nery

“Os serafins estavam acima dele, cada um tinha seis asas: Com duas cobriam os seus rostos, com duas cobriam os seus pés e com duas voavam” (Isaías 6: 2).

A Bíblia diz que existem seres celestiais, denominados anjos, que se ocupam de serviços inerentes ao Trono de Deus, incluindo missões especiais. Especificamente sobre os serafins, a descrição da aparência limita-se ao texto acima. Quanto à postura adotada por eles, podemos extrair algumas lições. Destacaremos humildade, obediência e dependência.

Eles cobrem o rosto 
Com duas asas eles cobrem o rosto. Significa reverência e respeito, objetivando não aparecerem. Em sendo seres belos e inteligentes em importantes funções poderiam despertar a atenção para si, mas eles evitam isso cobrindo o rosto, inclusive quando adoram. Assim, os serafins apresentam um comportamento digno de imitação, principalmente, quando louvamos e adoramos a Deus. A lição principal aqui é de humildade. Nossa aparência, capacidade, talentos e dons não podem desvirtuar o motivo da adoração que pertence somente a Deus.

Eles cobrem os pés
Com outras duas asas, os serafins cobrem os pés. Mostra cautela no ato de viver, incluindo ambiente que frequentamos e as decisões tomadas. Concita-nos a uma reflexão: o Senhor aprovaria, sem restrições, a nossa conduta?

Nas nossas relações interpessoais e nos compromissos que assumimos exercemos prudência, glorificando e honrando a Deus, sendo sal e luz no mundo? A lição principal aqui é de obediência. Indica que nossos pés deverão conduzir-nos aonde e como o nosso Mestre nos mandar.

Eles voam
Mesmo sendo poderosos e com seis asas, ao usarem duas para cobrirem os seus rostos e duas para cobrirem os pés, eles utilizam apenas duas para voar. Clarifica que dois terços dos seus recursos são investidos no desenvolvimento e crescimento espiritual. Por isso, eles são abençoados e abençoadores, voam. Em outras palavras, levam uma vida exemplar, íntegra e correta. A lição principal aqui é dependência.

O Reino de Deus deve ser buscado em primeiro lugar, e vivenciado diariamente, com disciplina e testemunho.

Depois de contemplar o quadro acima, Isaías diz: “Ai de mim! pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos!” (Isaías 6: 5). O profeta aprendeu as lições. Reconheceu quem ele era, como e onde estava. Que eu e você também reconheçamos nosso atual estágio na vida espiritual, porque para crescermos não podemos sair de outro lugar, a não ser daquele em que estamos. Parafraseando Abraham Lincoln, desejo que Deus lhe dê determinação para mudar o que deve ser mudado em sua vida, força para aceitar o que não pode ser mudado, e sabedoria para discernir uma situação da outra.


Clovis Rosa Nery, psicólogo e membro da PIBV

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!