Copa – Argentina cancela amistoso contra Israel

Palestinos pediram para que Leonel Messi não jogasse. Foto: Reprodução

O jogo seria o último da Argentina como preparação para a Copa do Mundo da Rússia. Os hermanos estreiam no dia 16 de junho contra a Islândia

O presidente de Israel, Reuven Rivlin, evidenciou sua preocupação com o que considera “politização” da seleção argentina. Isso porque, na última terça (05), a federação local anunciou o cancelamento do amistoso entre as duas seleções que aconteceria no próximo sábado, em Jerusalém.

“É realmente uma manhã triste para os torcedores, incluindo alguns dos meus netos, mas há valores que são ainda maiores que Messi. A politização por parte da Argentina me preocupa muito. Mesmo nos momentos mais difíceis, fizemos todo o possível para deixar as considerações que não eram puramente esportivas fora do campo, e é uma pena que a equipe da Argentina não tenha conseguido desta vez”, destacou Rivlin, em comunicado.

Ainda nesta quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, foi mais rígido em suas declarações. Para ele, a Argentina cedeu aos que “pregam o ódio contra Israel”.

“É lamentável que a elite do futebol argentino não tenha resistido às pressões dos que pregam o ódio contra Israel e que tem como único objetivo violar o direito fundamental de nos defendermos e destruir Israel”, afirmou o ministro pelo Twitter.

A embaixada de Israel em Buenos Aires divulgou a “suspensão da partida pelas ameaças e provocações a Lionel Messi”, que “logicamente resultaram na solidariedade de seus colegas”.

De acordo com o jornal “La Nación”, o governo israelense chegou a cogitar ligar para o presidente da Argentina, Mauricio Macri, para evitar o cancelamento da partida, mas foi em vão.

Na terça-feira, militantes palestinos reuniram-se perto de onde a seleção da argentina treinava, em Barcelona, com um uniforme cheio de sangue. Eles pediam para que os atletas não jogassem contra Israel.

PALESTINOS ELOGIAM CANCELAMENTO

O presidente da Federação Palestina de Futebol, Jobril Rajoub, disse que o cancelamento do amistoso representa um “cartão vermelho” para Israel.

“O que aconteceu é um cartão vermelho do resto do mundo aos israelenses, para que compreendam que têm o direito apenas de organizar, ou jogar futebol, dentro de suas fronteiras reconhecidas internacionalmente”, disse Rajoub, em referência ao status diplomático contestado de Jerusalém.

Informações de Lance!

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!