Anistia Internacional cobra medidas para proteção de cristãos no Egito

A Anistia Internacional revelou que nos últimos três meses, aproximadamente, 40 cristãos foram assassinados pelo Estado Islâmico (EI) no Egito.

Em uma declaração, a Anistia disse que as autoridades do Egito precisam oferecer “proteção a comunidade cristã perseguida”. Destacaram também a importância de prover segurança aos deslocados. “O governo não tomou medidas para proteger os cristãos no norte do Sinai, que têm enfrentado cada vez mais sequestros e assassinatos por grupos armados nos últimos três anos”, diz o relatório.

Estado Islâmico
Em dezembro, o Estado Islâmico reivindicou a autoria de um bombardeio na Igreja Copta do Cairo que matou 27 pessoas. Nas últimas semanas, o grupo jihadista lançou um vídeo incitando a violência contra a comunidade cristã “infiel”.

Desde o dia 30 de janeiro, sete pessoas foram assassinadas por militantes no norte do Egito, com vítimas sendo queimadas vivas, esfaqueadas e baleadas na rua.