Aline Barros conta suas aventuras de fé

“Estava passando por uma situação muito difícil que marcou a minha história, mas esse momento serviu para que pudesse aprender, amadurecer, crescer, fortalecer a minha fé e superar os meus limites”

Depois de lançar o livro “Graça Extraordinária” no Rio de Janeiro e em São Paulo, com maratona de autógrafos nas duas cidades, Aline Barros fala sobre a inspiração ao escrever esse novo projeto. No texto são abordados princípios e o alcance da graça de Deus, a fim de transformar vidas, realizar milagres e levar muitas pessoas a um caminho vitorioso em Cristo. Em meio a histórias de aventuras na fé, a obra aborda os desafios vencidos pelo poder do Pai e testemunhos de transformação no Salvador que a cantora colheu ao longo de sua trajetória e ministério.

Aos 39 anos de idade, 24 de carreira e 45 álbuns gravados, Aline ultrapassou as fronteiras da música gospel e arrasta multidões para suas apresentações. Reconhecida internacionalmente, a artista foi a primeira evangélica brasileira a ganhar o Grammy Latino em 2014. Indicada outras quatro vezes, ela ficou com o prêmio em 2006 e 2007.

“Fé e Paixão”, da Thomas Nelson Brasil, é uma autobiografia. Já “Graça Extraordinária”, também pela editora, apresenta testemunhos de várias pessoas. Por que decidiu por esse caminho?
Decidimos falar de uma graça que flui por meio de nós. Eu já havia ouvido muitos testemunhos de pessoas que foram abençoadas. Então, achei por bem publicar no livro, com a permissão delas, para que outras pessoas pudessem ser abençoadas também.

É um livro de reflexão bíblica sobre a graça do Senhor? Por que decidiu fazer essa abordagem?
O “Graça Extraordinária” é um livro que tem uma linguagem muito simples, que é algo muito desafiador para este tempo. Quem gosta desse estilo certamente vai se interessar pela obra, pois faz as pessoas pensarem sobre aquilo que se pode fazer a mais para esta geração, a fim de atribuir bênçãos para os outros. Quando se tem um canal livre com Deus, precisamos usá-lo… Falamos de base, de princípios que nortearam a minha vida e que por conta disso o Senhor me deu a condição de usar a minha vida como instrumento para impactar outras pessoas. Eu deixo bem claro que todos nós podemos ser um canal de Deus, Ele não tem filhos prediletos. Tem os Seus valores e princípios, que são imutáveis. Quando aplicamos isso na nossa vida, permitimos que Ele comece a agir. Por isso, a gente faz nossa parte, e Deus faz o resto. Este é o objetivo do livro: levar esta geração a se levantar com mais força neste tempo para que Deus possa usar cada pessoa como instrumento dEle.

Você fala muito sobre esta geração. Acredita que ela está muito longe do Pai e que precisa ficar mais perto dEle para mostrar às próximas como é se manter ao Seu lado?
Sim. Temos vivido maus dias e precisamos que a nossa geração se volte para mais perto de Deus. O país tem enfrentado diversos problemas nesses últimos anos e, se não focarmos nosso coração em Jesus, vai ser difícil se manter firme quando as notícias ruins chegarem. Só mantendo o relacionamento com Deus e a Sua Palavra é que vamos conseguir ser mais fortes e assim continuar de pé e com a confiança nEle. Não tem outro caminho a não ser Jesus!

Você trata sobre diversos assuntos em suas mensagens, músicas, pregações. Por que escolheu a graça para sua nova obra?
Porque estamos vivendo isso. Eu acabei de lançar um CD e um DVD com esse tema. A graça de Deus atua em várias formas na vida do ser humano: graça que cura, que sustenta, que levanta, que liberta, que alcança gerações independentemente da idade… Falamos da graça nas suas várias formas de agir. Foi algo que encheu meu coração e aproveitamos a oportunidade pra canalizar tudo falando a respeito da graça de Deus.

Como foi feita a escolha do repertório do seu novo projeto?
Não é uma coisa completamente ligada ao CD e ao DVD, que foram feitos com músicas que abençoaram muitas pessoas. As canções que estão no repertório desse álbum, as pessoas tiveram experiências com elas e escreveram a respeito disso. Essa é a ligação que tem, além também do tema que estava focado na graça de Deus. “Ressuscita-me”, “Casa do Pai” e muitas músicas desse projeto, as pessoas se identificaram e tiveram experiências.

Quando vai pregar, sua experiência musical influencia na hora de transmitir as mensagens?
Influencia sim, pois as músicas que Deus me fez gravar em toda a minha carreira são frutos de pregações que saem do púlpito, daquilo que me alimenta espiritualmente. Então, são pregações em forma de música.

Histórias de aventuras na fé, desafios vencidos e testemunhos de transformações que colheu ao longo de sua trajetória e ministério são alguns dos temas do livro. Qual o que mais gostou de escrever? Por quê?
Difícil de falar! Mas um dos tópicos que considero muito interessante é o que falo da graça que alcança gerações. Foi um dos capítulos que realmente abri meu coração. Até porque, ali, você consegue falar com pessoas de todas as idades, sejam elas crianças, jovens, adultos e idosos; é uma das partes mais lindas para mim.

Ao longo de 20 anos, você já vendeu mais de 5 milhões de CDs e DVDs e exibe seis prêmios do Grammy Latino, além de vários discos de ouro, platina e diamante. O que essas conquistas representam?
Reconhecimento da parte de Deus em primeiro lugar em tudo que tenho feito; são presentes que recebi do Pai.

Qual assunto que mais tem “intimidade” para escrever e falar: fé, família, ministério, etc.? Por quê?
Gosto muito de falar sobre fé e família.

Por que gosta desses temas?
Porque nesse tempo Deus tem me dado experiências lindas em família. Vemos a fé em Deus a cada dia na minha casa, com meu esposo e meus filhos. Hoje, eles já estão na escola… O Nicolas já está quase um adolescente, se batizou no ano passado. Ele escolheu servir a Deus. A Maria tem sido educada com os mesmos princípios da Palavra que o Nicolas foi. Temos vivido o que a Bíblia diz, sobre “honrar pai e mãe” e “instrui o seu filho no caminho que deve andar para que mais velho não se afaste”. Meus pais me ensinaram a andar nos caminhos do Senhor, a fazer escolhas certas que iriam me levar para um caminho de vitória. E tem sido muito lindo poder ensinar esses valores aos meus filhos. Não tem nada mais gratificante do que ver isso na minha família.

Você é uma das cantoras mais requisitas da música gospel. Como concilia seu lado profissional e sua família?
É um desafio. São muitas viagens, muitos compromissos e temos uma vida corrida. O Gil, meu esposo, me ajuda muito a estar com as crianças quando eu estou ministrando em alguma outra cidade distante. A tecnologia nos ajuda muito na hora de falar com eles, de desejar um dia abençoado, por exemplo. Mas nada substitui a presença física e sempre que posso levo e busco meus filhos na escola, tenho meu momento com meus familiares sempre no meu dia a dia.

Como foi o problema que passou com a sua voz no passado? Por que aconteceu?
Realmente tive um problema um pouco antes de ganhar o Nicolas. Há mais ou menos uns oito anos comecei a apresentar alguns problemas na minha voz e, logo depois que o Nicolas nasceu, fiquei praticamente sem voz. Apenas com 5% dela. As palavras que eu recebia dos médicos eram de que eu praticamente teria que parar de cantar porque eu mal estava falando. Deram um prazo de seis meses para recuperar a minha voz e tudo aquilo me tirou o chão. As palavras vêm com muita força em nossa direção, e o medo começa de certa forma a dominar a nossa mente e a nossa vida. Naquele momento difícil pude sentir verdadeiramente o amor de Deus de uma forma muito especial sobre a minha vida. Passei muitas noites chorando e preocupada, mas junto com meu marido pude lembrar o cuidado de Deus. Me senti cuidada, amparada, abraçada e que não tinha sido esquecida. Estava passando por uma situação muito difícil que marcou a minha história, mas esse momento serviu para que eu pudesse aprender, amadurecer, crescer, fortalecer a minha fé e superar os meus limites. Confiando em Deus, tive praticamente num tempo recorde de um mês a minha voz completamente restaurada. Isso para mim é um milagre. Os médicos ficaram muito impressionados. Haviam dado um prazo de seis meses e em apenas um mês já estava com minha voz restaurada 100%. Nesse período, estava gravando o CD “Fruto Desse Amor”. Fiz com muita dificuldade e vi Deus honrando a minha vida, foi com esse trabalho que ganhei meu primeiro Grammy Latino, em 2004. Foi um presente de Deus para mim.

E os próximos projetos, já está planejando?
Este ano tem um CD novo inédito, temos um web TV dentro do meu site oficial, meu novo CD internacional em inglês e muitos outros projetos que irão acontecer e que o público vai saber muito em breve.