Ação social e evangelização para indígenas do Tocantins

Foram confeccionadas e entregues 83 próteses, feitos 51 atendimentos no odontomóvel, além de palestras sobre higiene oral para indígenas adultos e crianças

O projeto Sorriso Xerente leva graça e atendimento odontológico até a aldeia Funil.

Durante uma semana do mês de julho, indígenas da aldeia Funil, no estado do Tocantins, foram alcançados pela compaixão e graça de Cristo através da ação Sorriso Xerente. O trabalho foi coordenado pelo cirurgião dentista e membro da Igreja Batista do Parque Aldeia, em Campos dos Goytacazes (RJ), Sila Pereira Rocha. O profissional atendeu à solicitação da Junta de Missões Nacionais.

O trabalho contou com uma equipe de Campos dos Goytacazes, composta por dois cirurgiões dentistas, dois protéticos (sendo um deles também acadêmico de odontologia), uma estudante de odontologia e outros três auxiliares.

Contou também com a parceria do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI-TO), disponibilizando profissionais de saúde e um “odontomóvel”, veículo para atendimento itinerante. O material clínico do “odontomóvel” e os kits de higiene oral também foram fornecidos pelo DSEI. O laboratório de próteses e todo material para confecção das próteses foram doados pela equipe de Campos. Os protéticos levaram todo equipamento e os missionários compraram os materiais para confecção das próteses.

Segundo o balanço da ação, foram confeccionadas e entregues 83 próteses, feitos 51 atendimentos no “odontomóvel”, além de palestras sobre higiene oral para indígenas adultos e crianças, ensinamentos sobre o uso e cuidados com as próteses e ações de escovação e fluoretação nas crianças indígenas, utilizando um escovódromo feito no local pela equipe.

“O resultado foi muito gratificante para todos os envolvidos na Ação e principalmente para os indígenas que receberam as próteses. Eles não tinham a menor perspectiva de ter a arcada dentária reconstituída um dia. Foi muito edificante poder falar para os indígenas que aquilo que estava acontecendo foi, antes de tudo, uma demonstração amor de Waptokwa Zawre (Deus) pelo povo indígena, onde Ele tocou no coração desses irmãos a ponto de deixarem suas cidades, seus afazeres, investirem seus recursos e tempo para abençoar esse povo. Só Waptokwa Zawre é digno de toda honra e louvor, pois ele capacita, provê os recursos e move os corações”, relatou Dr. Sila.