Abuso sexual – O papel da igreja na prevenção

Falar, ouvir ou escrever sobre a problemática do abuso sexual à criança e ao adolescente é uma tarefa espinhosa.

E a igreja? O que tem feito para protegê-los contra essa mazela dentro do seu próprio ambiente? Como ela pode se transformar num espaço seguro para os mais jovens? Algumas sugestões:

1 – Aceite a ideia de que esse problema apresenta grandes possibilidades de fazer parte da igreja.
O primeiro passo para agirmos nesse campo de batalha é aceitar que, possivelmente, há pessoas e famílias que estejam lutando silenciosamente contra esse problema. Isso não deveria nos surpreender, pois vivemos numa sociedade – da qual as famílias fazem parte dela – decaída e marcada pelo pecado.

2 – Procure conhecer, através da literatura, mais sobre a problemática do abuso sexual.
Muitos livros, seculares e cristãos, estão disponíveis no mercado. Artigos científicos encontram-se disponíveis na internet. Urge os pastores e líderes de crianças e adolescentes, especialmente, conhecerem os aspectos que envolvem a questão.

3 – Leve os líderes de sua igreja a se capacitarem a respeito do tema.
Pastores e líderes precisam ser capacitados sobre o assunto. Psicólogos, policiais podem ser chamados para falarem aos líderes sobre essa pauta.

4 – Procure saber mais sobre como a igreja e a família podem ser um lugar de proteção.
A igreja precisa tornar suas dependências um lugar seguro para crianças e adolescentes. Abusos sexuais podem acontecer nas dependências do templo. Para que isso não aconteça, é preciso formular um código de condutas de segurança para evitar o abuso.

5 – Ajude as famílias a se prevenirem.
Abuso sexual pode ser evitado. Brasileiros geralmente não valorizam, como deveriam, os aspectos preventivos. Esclareça aos pais sobre temas que envolvem o problema. Crianças e adolescentes que frequentam nossas igrejas precisam se ouvir e serem ouvidas nesse sentido.

6 – Faça da igreja um lugar de cura, um espaço terapêutico.
Em nossas igrejas há pessoas (vítimas e abusadores) que precisam ser tratadas com a graça curativa de Jesus Cristo. O abuso sexual é, em sua gênese, uma consequência da queda humana (Gn 3).

7 – Faça da sua igreja uma bênção nesta área.
Deus tem levantado pessoas e instituições para ser uma resposta ao desafio do abuso sexual. Movimentos como o “Bola na Rede” (bolanarede.org) vêm se destacando no Brasil para ajudar a Igreja a ser bênção para a sociedade brasileira. Peça apoio às organizações que trabalham com famílias (Ministério Oikos e outros) a fim de que auxiliem no trabalho de se pensar sobre o tema.

8 – Esteja atento e conheça os líderes que trabalham com crianças e adolescentes.
Não é paranoia, mas um cuidado. Procure conhecer o perfil psicológico dos líderes que trabalham com crianças e adolescentes para que não tenha surpresas nessa área.

Pr. Gilson Bifano é diretor do Ministério Oikos, palestrante, escritor e conferencista na área de casamento e família

 

 

 

 

 

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!