As consequências da queda e a justificação

“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram” (Romanos 5: 12).

A queda e a justificação – Contextualizando, a epístola aos Romanos foi escrita por Paulo em Corinto, quando em viagem a Jerusalém levando uma oferta para os cristãos pobres (Romanos 15: 25 a 26). Na carta, o apóstolo expressa seu desejo de visitar a igreja de Roma (Romanos 1: 8 a 15).

Para uma melhor compreensão do tema, inicialmente, é bom verificarmos quem, de fato, é o homem para, depois, então examinarmos as consequências de sua queda, relatada em Gênesis 3.

QUEM É O HOMEM?
O homem é uma unidade bio/psico/social/espiritual. A ciência mostra que no genoma humano há características biológicas, psicológicas e, possivelmente (ainda carente de comprovação), sociológicas e espirituais que deveriam funcionar harmonicamente.

Deus criou o homem para uma existência plena, à sua imagem e semelhança. Com a queda, ocorreram desajustes internos (em seu ser) e externos (no ambiente) que inviabilizaram o plano inicial.

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DA QUEDA?
As consequências, todas negativas, foram psicológica, sociológica, biológica, espiritual e ecológica (a Terra também sofreu com o erro do homem). Vejamos uma a uma:

• Gênesis 3:10 → “Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me”. Aqui está a consequência psicológica. O homem, reconhecendo seu estado, percebeu que estava nu, desestabilizou-se emocionalmente, sentiu medo, e escondeu-se de Deus.

Deus criou o homem para uma existência plena, à sua imagem e semelhança

• Gênesis 3:12 → “Ao que respondeu o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me da árvore, e eu comi”. Aqui está a consequência sociológica. Em vez de confessar a desobediência e pedir perdão, Adão agiu com arrogância e prepotência, transferindo sua responsabilidade.

• Gênesis 3:19 → “Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela foste tomado; porquanto és pó, e ao pó tornarás”. Aqui está a consequência biológica. O homem passou a experimentar a dor, o envelhecimento e a morte física.

• Gênesis 3:23 → “O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado”. Aqui está a consequência espiritual. O homem rompeu com Deus, perdeu o paraíso, e ganhou a morte espiritual. O Senhor o expulsou do Jardim do Éden.

A queda causou transtorno ao DNA humano

• Gênesis 3:17 → “E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida”. Aqui está a consequência ecológica. Foi lançada uma maldição sobre a terra.

A queda causou transtorno ao DNA humano. Como os traços genéticos são transmitidos de geração em geração, o pecado vem no “pacote”. Consequentemente, gerou desarmonia em todas as áreas de nosso ser: psicológica, sociológica, biológica, espiritual e, inclusive, ecológica. Se você pensa que não deixará herança para seus filhos está enganado. Ninguém consegue sonegar o legado da queda. Então, não meça esforços para instruí-los no caminho em que eles devem andar (Provérbios 22: 6).

Por nós mesmos, é impossível consertar o estrago da queda. Não temos controle sobre nosso DNA. Por isso, foi necessário algo sobrenatural. Jesus Cristo “foi entregue por causa das nossas transgressões, e ressuscitado para a nossa justificação” (Romanos 4: 25). Ele o milagre providenciado por Deus. No Velho Testamento, pela fé, a justificação era baseada na promessa do Messias. Nós somos justificados pelo Messias que já veio. Ele é o caminho de nossa justificação. Pela fé em Jesus, e somente por ela, podemos ser justificados diante de Deus.


Clovis Rosa Nery. Psicólogo e Membro da PIBV.

leia também

As lições dos Serafins
Que tal um passeio no deserto?
A lição dos camelos: na porta estreita, só de joelhos
Os sonhos de Deus

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!