A culpa é de qual geração?

“É a hora de assumir a nossa responsabilidade e garantir uma melhor futura geração”

Pra quem não sabe, nasci na década de 90, então, como dizem, pouco vi e vivi dessa vida. Lógico que não discordo disso, mas vou tomar a liberdade de falar do vejo. De vez em quando, ouço alguém dizer que a atual geração não sabe o que é bom, não sabe brincar e não tem mais valores e princípios como “os mais antigos”. Mas algo nessa história me intriga muito.

Partindo do pressuposto de que o que eu sei foi repassado pelos meus pais, avós, tios e demais integrante da família, consecutivamente, o que os meus filhos vão aprender, vai depender do que eu vou ensinar e permitir. Então, podemos concluir que parte da decadência de uma geração é culpa da geração anterior?

Digo parte, porque sei que o mundo mudou e em muitos segmentos. O aumento da criminalidade obrigou a sociedade a mudar seu comportamento e o avanço da tecnologia invadiu as nossas casas e, principalmente, a vida das crianças.

É fato que realmente não temos culpa de tudo, mas vamos pensar no outro lado da história. Analisando algumas destas mudanças de comportamento das gerações, vocês concordam que nós temos influência no que é ensinado hoje?

Como não tenho filhos, vou pedir desculpas pela ousadia em falar do assunto, mas não é nada raro encontrar crianças hoje que “negociam” suas vontades com adultos que não têm mais autoridade sobre elas. (Estou falando de crianças mesmo, e não de adolescentes.)

Diante disso, chego a uma conclusão. Nós, adultos, precisamos ser esses agentes transformadores para “salvar” as futuras gerações. Nós sim, não só os pais. O que fazemos vai ficar de exemplo para alguém.

A culpa é nossa! Não importa a nossa idade, profissão ou grau de instrução. A sociedade está perdendo sua essência e se não queremos que piore, é a hora de assumir a nossa responsabilidade e garantir uma melhor futura geração.


Bruna Hemerly é jornalista.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!