A ausência revela quem jamais nos deixa

A ausência de alguém tem o poder de nos revelar quem jamais nos deixará. A vida é curta para os que vivem somente sob o controle do tempo. Curta e infeliz. Diz a Palavra do Senhor: “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens” – I Coríntios 15.19. Não há dúvidas que a esperança em Cristo nos leva a ver o que “nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” – I Coríntios 2.9. A ausência revela quem jamais nos deixa. Vivemos várias despedidas em nossa vida. Algumas delas nos acompanharão na memória por muitos anos. Algumas nos transformaram para sempre. Despedir é deixar e deixar ir. Se deixar não é fácil, igualmente deixar ir. Algumas despedidas são inevitáveis. Outras são fundamentais.

A despedida pode ser dolorida. A dor não é de todo inconveniente. A dor ensina, faz aprender, revela limites e impõe decisões. Aprender com a dor é inteligente. A dor, geralmente, nos leva a fechar os olhos.

Ao fechá-los, os abrimos. Há muito a ser visto quando fechamos os olhos.

A ausência revela quem jamais nos deixa. Vivemos o limite de quem somos e de quem gostaríamos de ser. O convívio com a limitação pode ser angustiante. Desprezá-la será ainda pior. As barreiras são sinalizações. O caminho é sempre apontado, basta ver.

Jesus viveu intensamente os Seus poucos anos de ministério. Ele saiu a pregar a sua Palavra. Ele viu e ouviu muitas histórias. Em Seu poder, curou enfermos, libertou cativos, levantou caídos, uniu famílias, salvou pecadores, deu alegria. Motivos para sorrir foram espalhados como pétalas de flores que, ao chegarem, nos levam a ver suas cores e a sentir os seus cheiros. Quando uma vida é transformada, muda a vida e mudam vidas. Ele tem o poder de mudar vidas. Mudou no passado, muda hoje e sempre mudará. Muda-se o jeito de mudar, ninguém é igual, ninguém precisa ser sempre igual.

A ausência revela quem jamais nos deixa. Muitos passaram pela nossa vida. Muitos nos deixaram. Observe que a paisagem muda, o tempo passa, nós mudamos, mas Ele jamais nos deixa. Mesmo quando depositamos nosso coração em nós, em nossas forças, em pessoas, em projetos ou sonhos. Ainda assim, Ele prossegue. Os Seus olhos nos acompanham desde sempre. Enquanto perto, perto Ele estava.

Enquanto longe, perto Ele estava. A sua presença não depende da nossa. O Senhor jamais nos deixa. Quando tudo passa, Ele jamais. Quando todos nos deixam, Ele jamais. O Seu amor se confunde com Ele mesmo. Ele é amor. Neste amor conhecemos quem é Ele. Ele é Deus, o Deus Todo Poderoso, o Senhor dos Exércitos, o Criador, o Pai que nos acolhe como filhos, mais que criaturas. Que nos ensina a andar e anda conosco. Que nos conhece como somos e ainda assim nos ama. Que nos aceita como somos e nos conforma à sua imagem. Eu amo a Deus! A minha vida está em suas mãos. Seguir a Jesus por amor, sem nada querer, é a maior oportunidade das nossas vidas. Sinta o toque do Senhor em sua vida. Sinta e siga!

Rev. Jr. Vargas
Pastor da Igreja Presbiteriana das Américas, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro e
Apresentador do Debate 93 na Rádio 93 FM.

 

Compartilhe